quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, defendeu a permanência da atual presidenta da Petrobras e dos atuais diretores


O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo,  em uma coletiva convocada ontem respondeu à sugestão do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, no que diz respeito à substituição dos diretores da Petrobras.

“O governo tem uma posição muito clara a esse respeito. Em primeiro lugar, nós afirmamos e reafirmamos que não existem quaisquer indícios ou suspeitas que recaiam sobre a pessoa da atual presidenta da Petrobras, Graça Foster, e os atuais diretores. Não existe nenhum indicador de irregularidade eventual que tenha sido praticada pelos atuais dirigentes da Petrobras”, disse Cardozo.

O ministro também lembrou que a Petrobras tem tomado as providências necessárias para prevenir atos de corrupção na empresa, Criando um programa de prevenção à corrupção que vem sendo implementado e uma diretoria de compliance (termo em inglês que indica uma ação para cumprimento de normas).